segunda-feira, 30 de abril de 2018

Morro do Makemba, abrigo contra a escravidão nas montanhas de Diamantina

Fonte: Estado de Minas

Diamantina – O cheiro do café passado, da lenha queimada no fogão de barro e da fumaça que deixa lentamente as chaminés é indicativo da presença de habitantes nas moradias. Mas ninguém é localizado ao se averiguar de perto as casas coloniais de janelas de madeira pintada ou os casebres de paredes de pau a pique e telhas de barro feitas nas coxas. A aparência é de total abandono nas casas afastadas, onde ainda residem alguns dos moradores mais velhos da comunidade quilombola de Quartel do Indaiá, no distrito diamantinense de São João da Chapada, no Alto Jequitinhonha.


domingo, 29 de abril de 2018

Serra do Espinhaço, lar das tribos pré-históricas de Minas


Fonte: Estado de Minas 

Buenópolis, Diamantina e Joaquim Felício – Da região de Lagoa Santa, os povos primitivos seguiam pelo Vale do Rio das Velhas rastreando veados e tatus. A partir do semiárido baiano, dúzias de nômades determinados desbravavam a caatinga vasculhando sustento entre espinhos. Tribos do sertão norte-mineiro desciam coletando frutas, cocos e raízes. Serpenteando o Rio São Francisco e seus afluentes, clãs de pescadores e coletores desafiavam os morros, certos de conquistar fartura.