quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Gastronomia diamantinense e cultura do garimpeira no programa Revista BHNews

Clique a aqui e conheça o garimpo real.

Brasil e Senegal cantam a cultura negra

1ª NOITE AFROBRASIL

 Dois músicos. O primeiro, Cearense de Parambu, criado em São Luiz do Maranhão. Através da grande diversidade dos ritmos brasileiros desenvolve um trabalho de composição e canto, tornando seu espetáculo momentos de grande brasilidade.

O segundo, nascido no Senegal, país da África Ocidental, aprendeu com o pai, que por sua vez aprendeu com o avô, a tocar a Kora, espécie de harpa africana com 21 cordas. Aprimorou seus estudos com a kora e também enuncia com perfeição cantos de sua tradição em línguas wolof e mandinga, além de composições autorais.

Duas trajetórias e duas carreias, repletas de projetos musicais, shows e turnês que rodaram o mundo. Cada uma acontecendo em um lugar diferente, paralelamente, mas que agora se cruzam em um projeto comum.

O projeto “FESTA AFROBRASIL”, marca o ponto de intercessão dos trabalhos dos músicos Saldanha Rolim e Zal Sissokho. O primeiro show aconteceu no dia 23 de novembro, na cidade de Itabirito-MG, integrando a programação em comemoração ao dia da consciência negra. E no dia 05 de dezembro, será a vez de Diamantina receber a festa na 1ª NOITE AFROBRASIL, promovida pela boate Armazém do Rosário Art Music.

Para os músicos Saldanha Rolim e Zal Sissokho o publico pode esperar uma grande festa, com diversidade de ritmos, valorizando o canto e a dança. Os músicos fazem ainda um convite ao publico, para que o nessa noite externem a alegria pelos laços afro-brasileiros através de roupas, penteados e acessórios.

Data: 05 de Dezembro

Local: Armazém do Rosário Art Music

Rua Caminho do Carro, 237, Centro – Diamantina

Serviço de informação: Alberis Mafra (alberismafra@yahoo.com.br)

Projeto Visitar da Santa Casa de Caridade de Diamantina

clip_image004A Santa Casa de Caridade de Diamantina, com o intuito de estreitar os laços com a comunidade, criou o Projeto VISITAR, que consiste em visitas orientadas pelos setores da Instituição. Por meio dele, a Santa Casa está cumprindo o papel de levar à população conhecimento mais detalhado das reformas realizadas em toda a sua estrutura, dos novos projetos e processos empreendidos, tanto no âmbito administrativo, quanto na área assistencial. Essa foi à maneira mais adequada que se definiu para que a população possa se inteirar sobre um tema de fundamental importância em nossa vida: SAÚDE.

No dia 26 de Novembro de 2013 (terça-feira), recebemos as ilustres visitas, Senhor Carlos Homero Diretor da Gráfica e papelaria Silva, Senhora Helena de Souza Diretora da Auto Escola Barão, Senhor ILdevam Chaves Cotrim, Representando o DER/Dtna e Pastor Domingos L. Silva Igreja Presbiteriana Renovada de Diamantina.

Santa Casa de Caridade de Diamantina 223 anos de História com a Vida!!

Governo de Minas amplia acesso gratuito ao ensino superior no Estado

Fonte: Governo de Minas

O aumento no número de vagas e a gratuidade dos cursos são os principais benefícios para a sociedade, segundo a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Uma das mais importantes ações do governo mineiro para a expansão do ensino superior público e gratuito no Estado começa a se tornar realidade no próximo sábado (30), às 11 horas, na sede da Fundação Helena Antipoff (FHA), em Ibirité, na região metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). A FHA e as fundações educacionais de Campanha, Carangola e Diamantina passarão a integrar, oficialmente, a Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg). Na próxima etapa, prevista para ocorrer em 2014, as fundações Educacional de Divinópolis, Educacional de Ituiutaba, e de Ensino Superior de Passos, também serão absorvidas pela Uemg.

O evento, que marca esse avanço para o ensino superior do Estado, contará com a presença do governador Antonio Anastasia e seu secretariado, deputados estaduais e federais, prefeitos e vereadores, entre outras autoridades, além da comunidade local e regional. De acordo com a programação estão definidos: inauguração da Sala Master e do Centro de Educação à Distância da FHA; assinatura da Ordem de Serviço do Programa Brasil Profissionalizado (Unimontes); assinaturas dos seguintes decretos: de incorporação dos cursos superiores da FHA pela Uemg e criação do campus local; e de incorporação das unidades de Carangola, Campanha e Diamantina pela Uemg. Como toda a solenidade ocorre em Ibirité, os municípios de outras regiões terão acesso por meio de videoconferência.

"Estamos criando toda infraestrutura para assegurar comodidade e condições adequadas de aprendizagem para os alunos da Uemg, que devem saltar dos atuais 5.700 para mais de 18 mil, quando estiver concluída a expansão e reestruturação", assegurou o deputado federal Narcio Rodrigues, que enquanto secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, conduziu o processo desde o início.

Com a publicação dos três decretos, ficarão transferidos automaticamente para a Uemg, todos os alunos que, na data de publicação do documento, estejam regularmente matriculados nas fundações, assegurando-lhes o ensino público e gratuito, conforme determina a Lei nº 20.807, de 2013. Serão cerca de 2 mil alunos.

Nos últimos anos foi feito um trabalho intenso do governo de Minas, liderado pela Sectes e com a participação da Advocacia Geral do Estado (AGE), Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), Secretaria da Fazenda (SEF) e da própria Uemg em parceria com as fundações. Foram feitos os levantamentos da realidade de cada unidade associada à Uemg e o cumprimento de todas as formalidades legais, inclusive com a participação da Assembleia Legislativa ao aprovar a Lei 20.807, que autoriza o processo de absorção pela Uemg. Além das três das primeiras fundações do interior contempladas, a Fundação Helena Antipoff que já é estadualizada e gratuita para os alunos, também fará parte da estrutura da Uemg.

“Participo deste processo desde o início, primeiro como procuradora do Estado, depois como subsecretária de Ensino Superior, visando a viabilizar a absorção, pelo Estado, destas fundações associadas à Uemg. A assinatura destes três decretos de absorção significa um marco histórico, anunciado desde a Constituição Mineira de 1989, como parte da construção da própria Uemg, significando uma ampliação sem precedentes na expansão de vagas públicas e gratuitas  no ensino superior do Estado, onde quem ganha é a democracia, como dizia o professor Anísio Teixeira: "Só existirá democracia no Brasil no dia em que se montar no país a máquina que prepara as democracias. Essa máquina é a escola pública. ”

A ampliação total da Uemg se dará após a conclusão da estadualização de todas as fundações, como também a reestruturação de toda a universidade, contribuindo para que ela se consolide como uma das maiores instituições de ensino superior de Minas. O número de cursos de graduação oferecidos saltará de 32 para 112, e o de professores subirá de 853 para 1800. Atualmente, a Uemg também oferece cursos de pós-graduação Lato Sensu e Stricto Sensu, por meio de mestrado em Design, Educação e Engenharia de Materiais e um de doutorado em Engenharia de Materiais.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Veja análise das escolas do Vale do Jequitinhinha no Enem

Fontes:

Fonte: Portal Aconteceu no Vale (www.aconteceunovale.com.br) e Blog do Banu.

A equipe do portal Aconteceu no Vale, de Capelinha, no Alto Jequitinhonha, nordeste de Minas, analisou os números divulgados pelo MEC e relacionou as melhores escolas de nível médio dos Vales do Jequitinhonha, Rio Doce e Mucuri baseado nas médias obtidas no Enem.

Do quadro divulgado, sete escolas se destacaram por obter mais de 600 pontos. São elas o Colégio Diamantinense, com 673,36 pontos, de Diamantina; Colégio Nazareth, de Araçuaí, 644,27 pontos; Colégio Politécnico João Paulo II, de Itamarandiba, com 641,37 pontos;  Instituto Educacional Manuel Luiz Pego, de Capelinha com 625,59 pontos; Colégio Com Dom Fernando Magalhães, de Almenara, com 612, 32  pontos; Colégio Tiradentes-PMMG, de Diamantina, com 605,07 pontos; Colégio Politécnico Dom Luciano, de Capelinha, 604,62 com pontos.

Deste quadro, apenas o Colégio Tiradentes é escola pública. As outras seis são particulares.

Optamos por divulgar em nossa listagem apenas as instituições que obtiveram uma média total acima de 600 pontos.

Comparando as instituições dos três vales, a escola pública que obteve maior média foi o CEFET/MG Campus Timóteo, com média 643.93 ocupando a 1027º no ranking nacional. O Instituto Federal de Minas Gerais Campus São João Evangelista obteve a segunda melhor média 613.43 e está na posição 2469º. Já entre as escolas privadas, a melhor média é da Escola Pequeno Príncipe de Teófilo Otoni, que obteve média 682.35 e está na posição 204º do ranking nacional.

Confira a lista completa das instituições aqui.

Vale do Jequitinhonha
No Vale do Jequitinhonha as únicas escolas públicas que obteve uma média acima de 600 foi o Colégio Tiradentes da Polícia Militar e o Colégio Diamantinense obteve a maior média.

Vale do Mucuri
Infelizmente nenhuma escola pública está entre as melhores instituições do Vale do Mucuri. Outro dado importante é que das 7 escolas acima de 600, 6 são de Teófilo Otoni.

Vale do Rio Doce
No Vale do Rio Doce o destaque fica por conta do CEFET/MG Campus Timóteo e o Instituto Federal Minas Gerais Campus São João Evangelista, únicas escolas públicas entre as 28 melhores instituições da região.

Baixo desempenho das Escolas públicas
Infelizmente a realidade da educação pública brasileira é bem complicada. Percebemos, mais uma vez, através desses números do Resultado Enem, que a educação privada ainda está muito superior ao da grande maioria da população, que estuda em colégios públicos.

Nos Vales apenas 3 escolas públicas estão entre as melhores, enquanto as particulares são 39. É mas triste ainda quando olhamos a lista das piores médias, muitas destas instituições são principalmente de cidades do Vale do Jequitinhonha e Mucuri.

Confira a lista completa das instituições aqui.

Café Literário no Museu do Diamante

Artigo analisa relações de poder, disciplina e trabalho em fábricas da região diamantinense

RELAÇÕES DE GÊNERO, PODER, DISCIPLINA E TRABALHO: UMA ANÁLISE DAS FÁBRICAS DE BIRIBIRY (DIAMANTINA/MG) E SÃO ROBERTO (GOUVEIA/MG) – 1920/1930
 
Autora: Kátia Franciele Correa Borges

Nas décadas de 1920 e 1930 o Brasil viveu a euforia do progresso consequente da Belle Époque (1890-1920). Para Rachel Soihet, a Belle Époque brasileira representou o completo estabelecimento da ordem burguesa, que diante da crescente modernização do país viu no debate sobre a higiene o caminho para introdução de hábitos civilizados semelhantes ao modelo parisiense. As cidades mineiras de Diamantina e Gouveia, localizadas no Vale do Jequitinhonha, buscavam tal modernização pautadas nas ações de duas fábricas de tecidos que agitavam as economias locais – a Fabrica de Biribiri e a Fabrica de São Roberto. Ambas fundadas no século XIX, em meio à crise da mineração, destacavam-se por gerar empregos, sobretudo, para as moças filhas de famílias descendentes de “ex-escravos” e agregados das fazendas locais. Aos poucos Diamantina e Gouveia foram inseridas nas estatísticas econômicas acerca da indústria nacional (MACHADO FILHO, 1909;1960). Assim, as interrogações iniciais que nortearam esse artigo foram: como estavam definidas as relações de gênero naqueles espaços fabris? Como foram construídas? Quais os mecanismos que regularam tais relações?

Clique aqui para continuar lendo o artigo.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

“Por parte de pai” é a atração do fim de semana no Teatro Santa Izabel

image

Leia nesta semana na Voz de Diamantina

Capa (35)O renascimento deste jornalzinho do Pão de Santo Antônio em julho de 2002, como parte das comemorações dos 100 anos do asilo criado pelo benemérito Zezé Neves, coincidiu com uma nova e exuberante fase de conquistas que a até então perdedora Diamantina nem de longe vislumbrara. Assim é que este enxerido escrevinhador que se meteu a jornalista pôde tecer loas a este velho e respeitável burgo sem nenhuma sombra de pudor. Pela simples razão de que a cidade foco de seus enaltecimentos despertava de longo período de torpor, qual fênix a emergir gloriosamente das cinzas como Patrimônio Cultural da Humanidade distinguido pela hospitalidade de sua gente, pelo palpitar espontâneo da musicalidade e pela saciedade do conhecimento que a criação de uma universidade lhe prometia. Inumeráveis editoriais desta voz solitária e já enrouquecida exaltaram as profundas e notáveis transformações por que a cidade passava, alimentadas pela onda de autoestima que, de início, apenas excitou a altivez do diamantinense, para, em seguida, espraiar-se por becos, esquinas e ladeiras a reabastecer de nova e inextinguível riqueza seus exauridos cascalhos e grupiaras.

Tais digressões vêm à tona misturadas com o sentimento de que Diamantina, cantada em prosa e verso pela sua cultura, musicalidade e potencial turístico, está perdendo o bonde da história. Em lugar da animação de uma década atrás, quando empresários, intelectuais, artistas e o poder público investiam numa cidade cujo encantamento crescia na mesma proporção dos cuidados que lhe eram dispensados, aumenta a percepção de que ainda há muito que fazer e - mais ainda - do que não se fez. Diamantina mais parece hoje uma linda e atraente mulher que se descuidou da própria elegância.

Início do editorial da Voz de Diamantina - Edição 641, 23 de novembro de 2013

Assinatura da Voz de Diamantina

Um presente que todo mundo gosta de ganhar

Por apenas R$ 165,00 você recebe 52 exemplares semanalmente durante um ano

Quincas: (38) 3531-3129 e 8824-3584 - vozdediamantina@gmail.com

Aline: (38) 8811-5707 /// Wandeil: (38) 8803-8957

*A partir da tarde das sextas-feiras, o jornal Voz de Diamantina pode ser adquirido nos seguintes locais: Banca de Geraldinho, Canastra Diamantina e Livraria Espaço B

Conheça os membros da proposta da nova mesa administrativa da Santa Casa de Caridade de Diamantina

Proposta recebida dia 21/11/2013 para a NOVA MESA ADMINISTRATIVA DA SANTA CASA, para concorrer a eleição que acontecerá no dia 01/12/2013, conforme estatuto

proposta da nova mesa administrativa da santa casa biênio 2014-2015

Cadê minha vaga de estacionamento?

Autor: Gonzalo Monterroso

O arcebispo e o cônego andam procurando lugar para estacionar. Parece lógico que o pároco precise de uma vaga. Eu também preciso; também vivo no centro histórico e perdi minha vaga pública. Ele é jovem e mora na frente do seu escritório paroquial; eu sou mais velho e ainda não possuo catedral própria, mas já estou na posse da modesta credencial de idoso para estacionar (vemos que a Guarda Municipal não se incomoda quando vaga de idoso é ocupada por qualquer outro veículo). O arcebispo tem seus privilégios: uma garagem exclusiva no seu palácio. O Iphan não permitiria que eu fizesse a minha no recatado palácio sem brasões onde moro, que nem vaga para encostar uma bicicleta tem. No entanto, disponibilizamos generosas vagas para quaisquer servidores públicos que mereçam as duvidosas prerrogativas de ter “veículo oficial” para se locomover. Se a cidade deve ser um bem comum, então que haja vaga exclusiva só para emergências: ambulância, viatura policial e corpo de bombeiros. Nem prefeito municipal mereceria nem pontífice romano. Se o papa vier a Diamantina não teremos vaga para o papa-móvel. Duvido que vá precisar. Quando o cardeal Jorge Bergoglio era arcebispo de Buenos Aires, ele viajava de metrô ou de coletivo; e não morava num palácio, sua residência era um singelo apartamento, não tão perto assim da catedral de Plaza de Mayo como para evitar os irritantes engarrafamentos portenhos. Aliás, nunca pregou que as igrejas fossem suas, nem mandou fechar as portas aos filisteus por questões apostólicas tão triviais. Mas tamanho atropelamento dos privilegiados pode ser apenas o início da contra-reforma religiosa: será que vão proibir as procissões nas ruas tijucanas se não disponibilizarem vagas exclusivas para os servos de Deus? Se o arcebispo e o pároco quiserem estacionar veículos oficiais na porta de seus feudos, que possam então comprar seu talão de estacionamento rotativo. Deus lhes pague.

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Santa Casa de Caridade de Diamantina: visitar para conhecer

clip_image002A Santa Casa de Caridade de Diamantina, com o intuito de estreitar os laços com a comunidade, criou o Projeto VISITAR, que consiste em visitas orientadas pelos setores da Instituição. Por meio dele, a Santa Casa está cumprindo o papel de levar à população conhecimento mais detalhado das reformas realizadas em toda a sua estrutura, dos novos projetos e processos empreendidos, tanto no âmbito administrativo, quanto na área assistencial. Essa foi à maneira mais adequada que se definiu para que a população possa se inteirar sobre um tema de fundamental importância em nossa vida: SAÚDE. No dia 18 de Novembro de 2013 (segunda-feira), recebemos as visitas, da Professora da UFVJM Dra. Renata Aline de Andrade e acadêmicos da UFVJM, Mateus Couto, Karina Marques, Helen Salvador Lopes, Raquel de Mattos Machado, Alaércio Santos Junior e Adryana Clementino.

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Por Parte de Pai - da obra de Bartolomeu Campos de Queirós

Descubra um pouco mais sobre este grande gênio.

BartolomeuNascido em 1944, viveu a infância em Papagaios (MG). Com mais de 40 livros publicados (alguns deles traduzidos para inglês, espanhol e dinamarquês), formou-se em educação e artes, e criou-se como humanista. Cursou o Instituto de Pedagogia em Paris e participou de importantes projetos de leitura no Brasil como o ProLer e o Biblioteca Nacional, dando conferências e seminários para professores de leitura e literatura. Foi presidente da Fundação Clóvis Salgado/ Palácio das Artes e membro do Conselho Estadual de Cultura, ambos em Minas Gerais, sendo também muito convidado para participar de júris e comissões de salões, além de curadorias e museografias.

Idealizou o Movimento por um Brasil Literário , do qual participava ativamente. Por suas realizações, Bartolomeu colecionou medalhas: Chevalier de l’Ordre des Arts et des Lettres (França), Medalha Rosa Branca (Cuba), Grande Medalha da Inconfidência Mineira e Medalha Santos Dumont (Governo do Estado de Minas Gerais). Recebeu, ainda, láureas literárias importantes, como Grande Prêmio da Crítica em Literatura Infantil/Juvenil pela APCA, Jabuti, FNLIJ e Academia Brasileira de Letras.

Faleceu em 16 de janeiro de 2012, na cidade de Belo Horizonte, em decorrência de insuficiência renal.

image

Setor de homodinâmica da Santa Casa em fase final de construção

Com muito trabalho, profissionalismo e competência, a equipe de serviços da Santa casa de Caridade de Diamantina, coordenada pela Sra. Valéria Cláudia Ferreira Andrade e pelo Sr. Claudirley Magno do Nascimento (Noca cachimbo), em parceria com a Angiosete, está nos últimos retoques para entregar à população da Macro Região Jequitinhonha os serviços de Hemodinâmica, como cateterismo e angioplastia, dentre outros

image

image

image

III Encontro das comuidades afro descendentes de Diamantina

clip_image002

O tempo avançou e com ele continua a busca pela conquista de uma politica pública municipal voltada as comunidades afro descendentes de Diamantina. Já se vão quase três anos desde o primeiro Encontro, realizado no distrito de São João da Chapada em 2011 e o segundo no distrito de Inhaí em 2012.

Realizado junto com a Semana da Consciência Negra em parceria com diversas entidades o encontro desse ano pretende pautar como tema central a questão do racismo e a falta de políticas para a igualdade racial no município. Para o povo negro diamantinense, há pouco a comemorar, embora há que se reconhecer conquistas advindas da luta dos movimentos sociais em âmbito nacional que trazem hoje um legado de direitos, a exemplo da política de cotas raciais no ensino superior. Mas, algumas conquistas locais recentes reafirmam a difícil caminhada que a população negra diamantinense ainda tem pela frente para a conquista de direitos. Algumas vitórias podem ser comemoradas, como por exemplo a conquista da certificação de auto-definição enquanto comunidades quilombolas, concedida pela Fundação Palmares as comunidades de Mata dos Crioulos, Vargem do Inhaí e Quartel do Indaiá nos anos de 2010 e 2011; ainda outra como a criação do Comitê pró igualdade racial de Diamantina que após ter dado uma pequena parada, está sendo retomado; também a participação dos mestres das comunidades, ministrando oficinas durante o 45º Festival de Inverno da UFMG; assim como, a premiação concedida em novembro de 2013 pelo Ministério da Cultura ao nosso querido Sr. “Pedro de Alexina”, como mestre da cultura popular brasileira. Ainda a criação da Comissão em Defesa dos Direitos das Comunidades Extrativistas demonstra a capacidade de um importante segmento social do município em se organizar, mesmo à revelia e alienação das instituições públicas. É claro que atualmente as comunidades quilombolas se tornaram mais visíveis e começaram a despertar interesses das comunidades docentes e discentes, instituições e curiosos. São pequenas conquistas que elevam os ânimos das comunidades, que cada vez mais se afirmam como quilombolas e partem em busca de seus direitos.

O Encontro das Comunidades Afro descendentes de Diamantina, em sua terceira edição, retorna ao Distrito de São João da Chapada, prometendo ser um encontro colorido e multicultural, para “fazer a cabeça” dos participantes. Durante os quatro dias de evento, representantes institucionais ministrarão palestras e participarão de mesas com temas de interesse das comunidades. Conjuntamente a programação cultural expõe uma característica que essas comunidades sabem expressar muito bem: a alegria!

Para a integrante do Instituto Bateia e Coordenadora do encontro, Marcia Betânia, o III Encontro das Comunidades Afro descendentes será um momento importante de retomada do movimento social e ainda de debate e reflexão sobre esta grande mancha chamada racismo que fere a sociedade brasileira e prejudica o desenvolvimento humano.

Confira abaixo a Programação Cultural do III Encontro das Comunidades Afro Descendentes de Diamantina:

Dia 20-Quarta-feira

· 17hs-Exposição de fotos- A busca de direitos- I e II Encontro de Comunidades Afro- Descendentes - Sede da Associação/Salão da Tapeçaria.

· 18hs- Palestra:” Igualdade Racial: Conquistas e Direitos”- Maria do Carmo Silva- Assistente Social, advogada, ex- Secretária Adjunta da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do governo federal.

Local: Escola Estadual Governador Juscelino Kubitschek.

· 19hs30min - Missa Afro- Igreja Matriz Santo Antônio – presidida pelo Pe. Paulo Francisco de Souza – Inimutaba - MG

Dia 21-Quinta-feira

· 18hs30min - Mostra de curtas e documentários-Tema: Igualdade racial. Local: Sede da Associação/Salão da Tapeçaria.

· 19hs30min – Mesa de debates/Tema: Racismo Institucional

· Local: Escola Estadual Gov. Juscelino Kubitschek

Renato Cunha- advogado, assessor jurídico do IDENE: Aspectos legais para coibição do racismo institucional.

Lucas Dias-Conselho Municipal de Jovens e Adolescentes do Meio Rural-CONJARD: O impacto do racismo ou preconceito racial na formação do jovem.

Maria Cristina Ávila Rodrigues- Diretora da E.E.Governador Juscelino Kubitschek: O papel da educação no combate ao racismo.

Mediação: Márcia Betânia Oliveira Horta

Dia 22-Sexta-feira

· 13hs-Oficina de construção de brinquedos populares - Local: Nossa Casa

· 18hs -Espaço Griô/Contação de estórias com mestres da cultura popular. Local: Nossa Casa

· 20hs-Filme: “Besouro” - Local: Centro Comunitário Infantil Pe. Romano Merten (CCI).

Longa Metragem-Direção de JOÃO DANIEL TIKHOMIROFF. 1h 35m de duração- Besouro é o nome do maior capoeirista de todos os tempos. Um menino que, ao se identificar com o inseto que desafia as leis da Física, desafia ele mesmo as leis cruéis do preconceito e da opressão. Um mito, um super-herói.

Dia 23-Sábado

Espaço Afroxé

· Varal de cartazes alusivos ao Dia Nacional da Consciência Negra, feitos pelos alunos da Escola Estadual Governador Juscelino Kubitschek.

· 15hs - Cabeça feita: Oficina de Penteado Afro e de Pintura corporal.

· 17hs-Concentração seguida de cortejo em homenagem ao Dia Nacional da Consciência Negra.

· 20hs - Apresentações artístico-culturais de grupos da comunidade e convidados e barraquinhas.

Local: Rua Antônio de Carvalho Cruz - Praça

Serviço de Informação: Alberis Mafra {alberismafra@yahoo.com.br}

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Documentário mostra a descoberta de nova espécie de sapo no Pico do Itambé

Documentário produzido pelo Núcleo Audiovisual do Instituto Biotrópicos
Ano de produção: 2013
Imagens e edição: Michel Becheleni
Trilha sonora: Músicas do Espinhaço | www.musicasdoespinhaco.com.br
Serra do Espinhaço | Minas Gerais | Brasil
www.biotropicos.org.br | www.facebook.com/biotropicos
© Instituto Biotrópicos

Imperdível: “Por parte de Pai” no Teatro Santa Izabel

 

Saiba mais aqui:

image

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Edição especial do Café Literário

Gourmet02

IV Festival de Gastronomia de Diamantina – CURSOS E OFICINAS

DG_Supla_2013_ParcialA 4ª edição do “Diamantina Gourmet” vai oferecer oficinas gratuitas para os moradores e visitantes. A parceria do Senac com a Adeltur vai realizar os cursos de Culinária Típica Mineira e de Bombons e Trufas, ambos com carga horária de 16 horas.

Já as oficinas serão realizadas pelo Senac e terão a duração de 60 minutos. São oficinas de: Preparo de Massas com Frutos do Mar; Trufas; Cremes Especiais; Pratos Especiais - Peixe ao Molho Tropical; Risotos do Cerrado; Pratos Especiais - Moranga Com Recheio de Carne Seca; Pratos com Ora Pro Nobis; Preparo de Massas - Paella Mineira (Galinhada) e Preparo de Fondues.

Confira a programação detalhada abaixo.

PROGRAMAÇÃO CURSOS E OFICINAS:

Oficinas de Gastronomia : SERÃO FEITAS AS INCRIÇÕES NA CARRETA ESCOLA DO SENAC, NA PRAÇA DR. PRADO UMA HORA ANTES DE CADA OFICINA, POR ORDEM DE CHEGADA.

SEXTA – 15/11

Oficina 4: Pratos Especiais - Peixe ao Molho Tropical
Dia: 15/11, sexta-feira
Horário: 10h às 11h

Oficina 5: Risotos do Cerrado
Dia: 15/11, sexta-feira
Horário: 14h às 15h
Oficina 6: Pratos Especiais - Moranga Com Recheio de Carne Seca
Dia: 15/11, sexta-feira
Horário: 17h às 18h

SÁBADO – 16/11

Oficina 7: Pratos com Ora Pro Nobis
16/11, sábado
Horário: 10h às 11h

Oficina 8: Preparo de Massas - Paella Mineira (Galinhada)
16/11, sábado
Horário: 14h às 15h
Oficina 9: Preparo de Fondues
16/11, sábado
Horário: 17h às 18h

Nathália Marçal traz obra de Bartolomeu Campos de Queirós ao Teatro Santa Izabel

image

Clique aqui para saber mais sobre Nathália Marçal.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Hoje em Dia: UFVJM levou "puxão de orelha" por irregularidades

Fonte: Jornal Hoje em Dia (clique aqui). Foto: Eugênio Moraes

Universidade federal em Diamantina levou "puxão de orelha" por irregularidadesOs problemas na contratação de empresas para obras de ampliação da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), denunciados pelo Hoje em Dia no último sábado (9), não são um caso isolado. A instituição, que tem cinco intervenções paralisadas ou inacabadas no campus JK, em Diamantina – seja porque as vencedoras da licitação abandonaram o empreendimento ou faliram –, foi alertada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) sobre falhas em outros contratos.
Em 2011, o TCU notificou a instituição de
ensino sobre a contratação de uma empresa para a construção dos prédios de ciências básicas e saúde, em Diamantina, e do restaurante universitário e praça de serviços do campus de Teófilo Otoni.
Segundo o tribunal, a UFVJM aprovou os projetos básicos sem o desenho
arquitetônico, além de escolher a empresa que apresentou orçamento superior ao previsto no edital. Aditivos ao contrato, também maiores que o limite legalmente permitido, foram motivo de repreensão.
Em todos os casos, porém, os ministros do TCU entenderam que as falhas não implicavam em desperdício de dinheiro público, e a universidade não foi punida.

Resposta
No cargo de reitor desde 2007, Pedro Angelo Almeida Abreu garante que os problemas apontados pelo tribunal não estão relacionados à gestão. “O TCU não nos permite fazer balizamentos para restringir empresas que participam das concorrências. A lei que rege os processos licitatórios é absolutamente frouxa”, afirma, temendo que os problemas se repitam com empresas a serem contratadas no futuro.
Na última semana, o Hoje em Dia mostrou que o Campus JK se transformou em um canteiro de obras inacabadas. As do restaurante estudantil e das moradias universitárias estão paralisadas desde a falência da empresa contratada. Novas licitações serão abertas até o fim do ano, informa a reitoria.
No prédio da Faculdade de Odontologia, que está na fase de acabamento e instalações hidráulica e elétrica, uma nova empresa deverá ser contratada. Já o Núcleo de Geociências, também com o cronograma atrasado, tem previsão de entrega para janeiro.
De acordo com o Ministério da Educação (MEC), cabe às universidades definir seus projetos, elaborar as licitações e fiscalizar as obras.

Leia nesta semana na Voz de Diamantina

Capa (34)Pouco depois de instituído o Estacionamento Rotativo em Diamantina - a primeira e por enquanto única iniciativa de impacto do novo prefeito - um jovem empresário tentou convencer-me de que tal medida teria de ser antecedida de adequada preparação, além de me perguntar como iria a bancos e outras repartições que funcionam no centro histórico. Sugeri-lhe vir a pé, de bicicleta, de motocicleta ou de táxi, enquanto não surgir uma linha circular que leve as pessoas até algum ponto central de Diamantina. Ou o mais fácil: pagar para estacionar, adaptando-se à cidade, e não o contrário.

Diferentemente do arcebispo de Diamantina, deve-se desculpar o comum dos mortais por questionar essa inteligente medida para desafogar o trânsito no centro histórico. Sua insatisfação nada acrescentará ou diminuirá na cultura, na hospitalidade e na valorização do inestimável legado místico, artístico e arquitetônico da Igreja Católica. Mas vamos ao fato, por mais inacreditável que pareça. Antes do rotativo, existia uma vaga para o vigário ao lado da catedral. Antigo e descabido privilégio de que gozavam drogarias, juízes, promotores e outros afortunados. Esse favorecimento foi eliminado. E com razão, pois ele é o germe da corrupção. O Brasil não estaria chafurdando na imoralidade se pequenos e injustificáveis benefícios não existissem. Mas que fez o nosso prelado? Em represália à atitude correta e isenta do prefeito, mandou fechar as igrejas de Diamantina à visitação pública.

Início do editorial da Voz de Diamantina - Edição 640, 16 de novembro de 2013

Assinatura da Voz de Diamantina

Um presente que todo mundo gosta de ganhar

Por apenas R$ 165,00 você recebe 52 exemplares semanalmente durante um ano

Quincas: (38) 3531-3129 e 8824-3584 - vozdediamantina@gmail.com

Aline: (38) 8811-5707 /// Wandeil: (38) 8803-8957

*A partir da tarde das sextas-feiras, o jornal Voz de Diamantina pode ser adquirido nos seguintes locais: Banca de Geraldinho, Canastra Diamantina e Livraria Espaço B

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Bossa Trio convida

O Bossa trio, formado por Wanderlei Guedes (Violão), Cristina Vieira (Vocal) e Tião (Acordeon), convida para as apresentações que se seguem abaixo. No repertório muita bossa nova e sambas, com o toque inusitado do acordeon. Reserve o seu lugar!

BAR RECANTO DO ANTÓNIO

BECO DA TECLA, 39 - CENTRO

HOJE, 12 DE NOVEMBRO, A PARTIR DAS 21 HORAS.

RESTAURANTE AL ÁRABE

13 DE NOVEMBRO

A PARTIR DAS 22 HORAS

PRAÇA DR. PRADO, 124, CENTRO

TEL PARA RESERVAS  3531 2281

MERCADO VELHO DE DIAMANTINA

SEXTA FEIRA, 15 DE NOVEMBRO

A PARTIR DAS 19 HORAS.

RESTAURANTE TRIANON

FEIJOADA DE CINEMA

SABADO, A PARTIR DAS 13 HORAS

NO ANTIGO CINE TRIANON, 

RUA DIREITA

Oficina gratuita de dramaturgia no Museu do Diamante

image002

Santa Casa da Caridade de Diamantina informa

O Provedor da Santa Casa comunica a todos os irmãos da Irmandade Santa Izabel, que haverá Eleição para biênio 2014/2015 em 01 de Dezembro. As chapas podem ser apresentadas até o dia 20 de Novembro de 2013.

Qualquer dúvida procurar a provedoria:

Cirlei Costa- Secretária Provedoria

3532-1300 ramal 1318 ou 8822-1450

provedoria@santacasadediamantina.com.br

Unidade da Fundação Hemominas em Diamantina realiza a Semana do Doador Voluntário de Sangue

clip_image002 A palavra ‘voluntário’ possui vários sinônimos, dentre eles, os que a destacam como algo que é feito instintivamente, automático, espontâneo, impensado, inconsciente, irrefletido; algo que se pode optar por fazer ou não. Mas, para os doadores e receptores de sangue da Fundação Hemominas, os sinônimos mais valorados da palavra voluntário são aqueles que a comparam a um gesto altruísta, filantropo, humanitário. Um gesto ligado à doação!

Graças à consciência de milhares de pessoas sobre a doação voluntária de sangue, todos os anos a unidade da Fundação Hemominas em Diamantina consegue fornecer sangue a quem precisa. Cirurgias, atendimentos ambulatoriais e tratamentos são viabilizados no Ambulatório da Fundação Hemominas e em 13 hospitais de nossa região.

Para comemorar a consciência dos doadores voluntários, a Fundação Hemominas realizará no período de 23 a 29 de novembro a Semana do Doador Voluntário de Sangue. Uma semana repleta de eventos e atividades para acolher com todo carinho aqueles que já realizaram e sabem da importância do gesto da doação voluntária, e também aqueles que querem pela primeira vez, realizar sua doação.

Segundo o Coordenador da Fundação Hemominas em Diamantina, Dr. Antônio Edvaldo Silva, inicialmente estão aptos a doar, pessoas com idade entre 16 e 67 anos (lembrando que menores de 18 anos devem ter autorização dos responsáveis); gozando de boa saúde; com peso acima de 50 kg.

Fique ligado na Programação da Semana do Doador Voluntário de Sangue:

Dia 23/11 – a partir das 10 horas – Carreata dos Doadores Voluntários. Trajeto: Saindo da Fundação Hemominas em Direção ao Mercado Velho.

Dia 25/11 – às 08 horas – Culto Ecumênico em Graças aos Doadores Voluntários, Diplomação e entrega dos Certificados de Honra ao Mérito. Local: Fundação Hemominas.

De 26 a 29/11 – às 08 horas – Recepção dos Doadores Voluntários, com apresentações artísticas e lanche especial. Local: Fundação Hemominas.

Horário de funcionamento para doação de sangue, cadastro de candidatos à doação de medula óssea e ambulatório:

Segunda-feira, das 08:00 às 12:00

De terça a sexta-feira, das 07:00 às 12:00

Rua da Glória, 469 - Centro – Diamantina

Tel.: (38) 3532-1350 - Fax.: (38) 3532-1360

Serviço de Informação: Alberis Mafra

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Divulgado edital para concurso público para cargos da carreira técnico-administrativa da UFVJM

A UFVJM acaba de divulgar o edital de abertura das inscrições para Concurso Público destinado ao provimento de cargos da carreira técnico-administrativa.

Clique aqui para mais informações.

sábado, 9 de novembro de 2013

Novo campus da Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, em Diamantina, lembra canteiro de obras

Fonte: Jornal Hoje em Dia (clique aqui)

Novo campus da Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, em Diamantina, lembra canteiro de obras DIAMANTINA – Criado em 2005, o campus JK da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFJVM), na BR-367, altura do bairro Alto da Jacuba, em Diamantina, transformou-se em um verdadeiro canteiro de obras paradas. Com as edificações inacabadas, como o prédio de odontologia (R$ 7,3 milhões), previsto para ser concluído em maio de 2011, estudantes estão sem estrutura adequada para as aulas e a prática em laboratório.

O imóvel da odontologia e o restaurante universitário são os casos mais graves. "Dizem que o prédio da odontologia foi construído em solo arenito e pode desabar", diz uma funcionária que pediu para não ser identificada. Faltam acabamento, pintura e instalações elétrica e hidráulica.

Já a obra do restaurante universitário parou na fase de vigas. Parte da estrutura está escorada por madeira, em pleno processo de deterioração.

As obras dos pavilhões de salas de aulas I e II (R$ 9,4 milhões) e da nova biblioteca caminham a passos lentos. Pelo cronograma, o primeiro deveria ficar pronto em maio último. "Enquanto temos a previsão de estudar em uma biblioteca ampla, temos de nos contentar com a estrutura atual, bem precária", conta uma estudante de zootecnia.

A cinco quilômetros do campus JK, no trevo do Biribiri, as obras das moradias estudantis, orçadas em quase R$ 15 milhões, incluem um restaurante e uma biblioteca. As intervenções, no entanto, estão paralisadas desde janeiro. Dos dois conjuntos de apartamentos, apenas um ficou pronto. O residencial abrigaria gratuitamente mil universitários carentes.

É o caso de Paulo Duarte, do 7º período de engenharia florestal, de Bambuí, no Centro-Oeste. Ele paga R$ 250, por mês, para morar em uma república em Diamantina. Apesar de ter o bolsa-alimentação, que garante pelo menos o almoço, Paulo afirma que vários colegas estão passando por dificuldades.

"O reitor tem suas prioridades. O prédio do Núcleo de Geociências, onde ele deverá trabalhar, está quase pronto, mas o restaurante universitário, as moradias e a nova biblioteca ninguém sabe quando serão concluídos", diz Paulo. O Diretório Central dos Estudantes (DCE) planeja criar uma comissão para fiscalizar o andamento das obras.

O que diz o reitor Pedro Angelo Almeida Abreu

Faculdade de Odontologia: "O solo, de quartzito, é adequado para a obra, que não foi concluída no prazo estabelecido. Uma nova licitação foi aberta, e o vencedor será conhecido neste mês."

Restaurante: "A empresa que executava as obras faliu e abandonou o projeto. Foram feitas alterações no desenho da obra, e uma nova empresa terá de ser escolhida para executá-las. Não há data para abertura da nova licitação."

Pavilhões 1 e 2: "O projeto estrutural ficou errado e, após os ajustes, a empresa contratada para executar a obra não quis continuar. Nova escolha será feita neste mês e as obras começam em janeiro."

Moradias universitárias: "A empresa é a mesma que faria o restaurante (faliu). Uma outra foi escolhida, mas, em janeiro, abandonou a obra. Outro edital ficará pronto em dezembro."

Núcleo de Geociências (quase pronto): "Não estou sendo privilegiado. Vou dar aula junto com outros nove professores."

Prefeito Paulo Célio divulga mensagem sobre crise no Hospital de Nossa Senhora da Saúde


MENSAGEM DE ESCLARECIMENTO AOS DIAMANTINENSES E AMIGOS DA REGIÃO
A grave crise que atinge o Hospital de Nossa Senhora da Saúde, instituição centenária e patrimônio de todos nós diamantinenses, tem explicação que devem ser informadas a todos. Crises dessa natureza causam impactos sociais substanciais nas vidas das pessoas, sobretudo quando se trata de atenção a saúde. No caso do Hospital a paralisação dos médicos teve uma repercussão ainda maior por se tratar do único hospital de referência micro e macro regional em maternidade, especialidade nobre, a especialidade do nascimento, da vida.

Somos e seremos sempre solidários com a população em casos como esse, pois se trata de serviço essencial e para tanto todos os esforços pessoais foram feitos por mim para sanar e minimizar o sofrimento e angústia de todos.

Com um mês de mandato iniciei as minhas investidas como prefeito alertando as autoridades estaduais e do Ministério da Saúde sobre a possibilidade iminente da paralisação, o que de fato ocorreu nestes últimos dias.
Essa crise estava anunciada e se deve a múltiplos fatores, portanto complexa, oriunda, principalmente, pelo sub-financiamento do SUS, cujas tabelas de honorários estão defasadas, por falta de credenciamento de parte dos leitos da UTI Neonatal(sabe-se que o custo de uma UTI é bastante elevado), pela não inserção do hospital no programa da Gestante de Alto Risco, dentre outras ações e projetos, pois apenas os últimos dois podem chegar a um total de R$300.000,00(trezentos mil reais) mensais a mais na receita total do Hospital, o que permitiria o equilíbrio das contas da instituição. Reconhecidamente, a administração do Hospital está tomando medidas dolorosas, mas necessárias, para se ajustar ao momento que atravessa e melhorar seus processos de gestão.

A crise não é isolada, apenas do nosso Hospital. Ela está atingindo uma grande parte dos hospitais que dependem do SUS, tanto é verdade que a Santa Casa de Misericórdia de Montes Claros também passa por momentos críticos.

Como se verifica, não se pode apontar culpados, muito menos a mim, prefeito atual, pois se hoje o Hospital de Nossa senhora da Saúde tem uma UTI Neonatal, o Centro Especializado em Reabilitação(referência nacional), um moderno Centro Obstétrico, um Centro Cirúrgico ampliado, um CTI adulto a ser licitado, equipamentos de última geração como intensificadores de imagem, dentre outros, afirmo com orgulho e não por vaidade, tudo isso foi conquistado por pedido pessoal meu aos meus amigos políticos. Porque então eu, agora investido como prefeito de Diamantina não lutaria com todas as minhas forças para não perder tudo isso? Incoerente, indigno, irresponsável, intolerante são as falas de alguns pretensos entendidos em gestão hospitalar, ao me responsabilizar pela crise atual.

Para conhecimento de todos, desde junho até os dias atuais, em cinco meses, portanto, já consegui quase R$2.000.000,00(dois milhões de reais) para o Hospital de Nossa Senhora da Saúde e não vou parar. Vou manter meus esforços para ajudar ainda mais, pois essa Casa de Saúde não vai e não pode fechar.

Fico com a minha consciência de dever cumprido. As críticas infundadas, levianas, mentirosas e baixas eu as deleto e deixo para que cada um avalie a verdade dos fatos.

Sigo o meu caminho de fazer o bem por nossa cidade. Enfim, o Hospital não vai fechar. Ele é viável, tem muito potencial e vai superar essa crise. Mas só superará essa crise com a ajuda de todos. Ajude você também ao nosso querido Hospital de Nossa Senhora da Saúde.

Jornal Hoje em Dia divulga crise do Hospital de Diamantina

Textos e Fotos: Jornal Hoje em Dia

Hospital e maternidade de portas fechadas em Diamantina (clique aqui)

Má gestão e dinheiro escasso condenam dezenas de hospitais em Minas(clique aqui)

Sem hospitais, pacientes fazem via-sacra rumo a atendimento (clique aqui)

Hospital e maternidade em Diamantina

Hospital Nossa Senhora da Saúde

Espécie rara de anfíbio é registrada no Parque Estadual do Pico de Itambé

Fonte: O Eco (clique aqui)

Izabela-Barata Instituto-Biotropicos-(2)A mais nova espécie de anfíbios descrita é tão pequena quanto uma unha, passa a vida dentro de uma bromélia e só é encontrada em um ponto específico no Parque Estadual do Pico de Itambé. A Crossodactylodes itambe foi descrita na última sexta-feira (01) na revista Zootaxa. Mede cerca de 15 mm  de comprimento e vive dentro de bromélias.

O gênero inclui mais 3 espécies e todas elas ocorrem em altitudes elevadas e ocupam bromélias durante toda a sua vida. É uma espécie endêmica. Até o momento, o sapinho da bromélia, como é chamado pelos moradores, foi registrada apenas no Parque Estadual do Pico do Itambé, em Minas Gerais, numa área inferior a 0,1 km2. Daí surgiu seu nome científico.

O registro da nova espécie amplia a área de ocorrência do gênero, que era conhecido em poucas localidades da Mata Atlântica” comemora Izabela Barata, a principal autora da descoberta e pesquisadora do Instituto Biotrópicos. “Temos que avaliar o quanto a espécie é restrita e quais variáveis climáticas podem influenciar a distribuição e ocorrência desta espécie”.

Os anfíbios são muitos vulneráveis às mudanças no ambiente. Não é à-toa, estão no topo da lista de vertebrados mais ameaçados do planeta do IUCN (União Mundial para a Conservação da Natureza). Os pesquisadores acreditam que a temperatura e umidade são fatores importantes para a preservação do sapinho da bromélia. O monitoramento da espécie contribuirá para entender as consequências das mudanças climáticas na biodiversidade brasileira.

Saiba Mais (artigo original)
A new species of Crossodactylodes (Anura: Leptodactylidae) from Minas Gerais, Brazil: first record of genus within the Espinhaço Mountain Range. IZABELA M. BARATA, MARCUS T.T. SANTOS, FELIPE S.F. LEITE, PAULO C.A. GARCIA.

Leia Também
Balanço da busca global por anfíbios
Sapinho descoberto na Oceania é menor vertebrado do mundo
Uma nova perereca e o sapo que copula com a fêmea morta

Clique aqui e leia reportagem no Jornal Estado de Minas.

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Ultra Maratona Sertão Diamante de Mountain Bike

A Ultra Maratona Sertão Diamante 2013 terá largada na Praça da Estação, na cidade de Curvelo-MG e a chegada na cidade de Diamantina-MG. No trecho de 170km, que ligam as duas cidades, em sua grande maioria de estradas de terra ou trilhas, os competidores passarão por cidades, vilas, estações ferroviárias, pontes, pontilhões, rios, córregos, cachoeiras, serras, montanhas, templos místicos, efim, em uma das regiões mais belas do estado de Minas Gerais.

No primeiro dia o percurso passará consecutivamente pela cidade de Inimutaba, pelo distrito de Gentil de Matos (Inimutaba), pelos Rios Picão, das Velhas e Pardinho, pelo distrito de Senhora da Glória (Curvelo), pela cidade de Monjolos, pelo distrito de Rodeador (Monjolos), chegando até o distrito de Conselheiro Mata (Diamantina), totalizando 100km. Ainda no primeiro dia, haverá um misto de paisagens, pois, os competidores sairão de uma altitude de 650 metros, com clima e vegetação tipicamente do Cerrado e chegarão a 980 metros, já na Serra do Espinhaço, com clima e vegetação bem diferentes. Os último 27km da primeira etapa, já fazem parte da Trilha Verde da Maria Fumaça, que foi um antigo ramal ferroviário, extinto da década de 60, que ligava a cidade de Corinto à cidade de Diamantina, e que hoje é considerado uma das principais rotas de ecoturismo do estado de Minas Gerais.

No segundo dia de prova, o percurso terá 70km, com largada no distrito de Conselheiro Mata (Diamantina), passando por um lugarejo conhecido como Mendes, que abrigava funcionários da ferrovia, pelo distrito de Barão do Guaicuí (Gouveia), pelo distrito de Banderinhas (Diamantina) e chegando finalmente, no largo Dom João, na cidade de Diamantina, onde também funcionou a estação ferroviária da cidade, com uma altitude de 1280 metros. Isto é somente um pouco do que será, sem dúvida uma das provas mais interessantes e divertidas de Minas Gerais e do Brasil.

Clique aqui para saber mais.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Leia nesta semana na Voz de Diamantina

Capa (33)

A contabilizar 112 longos anos de benfazejos e inestimáveis serviços prestados à população de Diamantina e da região, o Hospital Nossa Senhora da Saúde entrou ultimamente na linha de tiro de boatos e maledicências. Uns a dizer que ele fechará suas portas; outros a afirmar que ele paga salários que variam de 25 a 52 mil reais. Além da acusação de que a crise financeira que a instituição atravessa é fruto unicamente de má gestão. Pouca gente mais bem informada e consciente dos males causados pelo disse-que-disse procurou saber as verdadeiras razões dos graves percalços da entidade. Menos pessoas ainda sopesaram a visão e a competência de várias provedorias que acreditaram e bancaram, por longo período e com sacrifício para a instituição, o funcionamento do Núcleo de Órtese e Prótese que, ao tornar-se Centro Especializado em Reabilitação (CER IV), um dos quatro primeiros do país, guinou o Hospital a notável posição na área de saúde em âmbito nacional. A maioria dos diamantinenses nem se dignou conhecer sua arrojada, admirável e bem equipada estrutura.

No dia 1º de novembro, o corpo clínico do Hospital paralisou a assistência médica nas especialidades de ortopedia, maternidade e pediatria, segundo ofício encaminhado aos principais setores da saúde, depois de exaustivas tentativas de solucionar a crise financeira do hospital e a regularização dos honorários médicos já com três meses de atraso. Curiosamente, o que era tão esperado, comentado, anunciado (e até dissimuladamente ansiado) teve, pelo menos, o mérito de fazer com que as pessoas reavaliassem a importância do Hospital.

Início do editorial da Voz de Diamantina - Edição 639, 09 de novembro de 2013

Assinatura da Voz de Diamantina

Um presente que todo mundo gosta de ganhar

Por apenas R$ 165,00 você recebe 52 exemplares semanalmente durante um ano

Quincas: (38) 3531-3129 e 8824-3584 - vozdediamantina@gmail.com

Aline: (38) 8811-5707 /// Wandeil: (38) 8803-8957

*A partir da tarde das sextas-feiras, o jornal Voz de Diamantina pode ser adquirido nos seguintes locais: Banca de Geraldinho, Canastra Diamantina e Livraria Espaço B

Hospital Nossa Senhora da Saúde suspende atendimento

 

Clique aqui para saber mais.

Nossa Senhora da saúde  - diamantina mg

IV Festival de Gastronomia de Diamantina – CURSOS E OFICINAS

DG_Supla_2013_ParcialA 4ª edição do “Diamantina Gourmet” vai oferecer oficinas gratuitas para os moradores e visitantes. A parceria do Senac com a Adeltur vai realizar os cursos de Culinária Típica Mineira e de Bombons e Trufas, ambos com carga horária de 16 horas.

Já as oficinas serão realizadas pelo Senac e terão a duração de 60 minutos. São oficinas de: Preparo de Massas com Frutos do Mar; Trufas; Cremes Especiais; Pratos Especiais - Peixe ao Molho Tropical; Risotos do Cerrado; Pratos Especiais - Moranga Com Recheio de Carne Seca; Pratos com Ora Pro Nobis; Preparo de Massas - Paella Mineira (Galinhada) e Preparo de Fondues.

As inscrições podem ser feitas a partir do dia 04 de novembro, no SENAC – Rua Augusto Nelson, 155 – Centro.

Confira a programação detalhada abaixo.

PROGRAMAÇÃO CURSOS E OFICINAS:

Cursos de Gastronomia:

Curso 1: Culinária Típica Mineira
Dias: 11 a 14 de novembro
Horário: 08h30 às 12h30
Local: Praça Dr. Prado
Inscrições: SENAC - Rua Augusto Nelson, 155, Centro. Telefone 3531 9936

Curso 2: Bombons e Trufas
Dias: 11 a 14 de novembro
Horário: 14h30 às 18h30
Local: Praça Dr. Prado
Inscrições: Inscrições: SENAC - Rua Augusto Nelson, 155, Centro. Telefone 3531 9936

Oficinas de Gastronomia : SERÃO FEITAS AS INCRIÇÕES NA CARRETA ESCOLA DO SENAC, NA PRAÇA DR. PRADO UMA HORA ANTES DE CADA OFICINA, POR ORDEM DE CHEGADA.

SÁBADO – 09/11

Oficina 1: Preparo de Massas com Frutos do Mar
Dia: 09/11, sábado
Horário: 10h às 11h

Oficina 2: Trufas
Dia: 09/11, sábado
Horário: 14h às 15h

Oficina 3: Cremes Especiais
Dia: 09/11, sábado
Horário: 17h às 18h

SEXTA – 15/11

Oficina 4: Pratos Especiais - Peixe ao Molho Tropical
Dia: 15/11, sexta-feira
Horário: 10h às 11h

Oficina 5: Risotos do Cerrado
Dia: 15/11, sexta-feira
Horário: 14h às 15h

Oficina 6: Pratos Especiais - Moranga Com Recheio de Carne Seca
Dia: 15/11, sexta-feira
Horário: 17h às 18h

SÁBADO – 16/11

Oficina 7: Pratos com Ora Pro Nobis
16/11, sábado
Horário: 10h às 11h

Oficina 8: Preparo de Massas - Paella Mineira (Galinhada)
16/11, sábado
Horário: 14h às 15h

Oficina 9: Preparo de Fondues
16/11, sábado
Horário: 17h às 18h

Inscrições para a 4ª edição do Selo UNICEF se encerram em uma semana

Em Minas Gerais, mais de 140 municípios podem participar do projeto

Selo UNICEF busca auxiliar gestores na melhoria da qualidade de vida de meninas e meninos

Quase 50 mil crianças e adolescentes mineiros já serão beneficiadas

No dia 14 de novembro se encerram as inscrições para o Selo UNICEF Município Aprovado Edição 2013-2016. Realizado pelo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), o projeto busca auxiliar gestores na melhoria da qualidade de vida de crianças e adolescentes. Nesta edição, podem se inscrever cerca de 1.500 municípios da área de atuação do Programa Nacional de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca (PAN Brasil), localizados em dez estados brasileiros. Em Minas Gerais, 142 municípios estão localizados nessa área.

A coordenadora do Selo UNICEF em Minas Gerais, Adriana Mitre, afirma que o projeto tem como objetivo reduzir as desigualdades regionais do país por meio do fortalecimento das gestões municipais da região semiárida brasileira e do alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e das Metas Pós-2015. Até então, já serão beneficiadas quase 50 mil crianças e adolescentes de municípios mineiros que aderiram à iniciativa, mas esse número ainda poderá ser ampliado.

As inscrições podem ser feitas pelos(as) prefeitos(as), por meio da assinatura e envio do Termo de Adesão para o escritório da secretaria executiva do Selo UNICEF em cada estado. Em Minas Gerais, o escritório se localiza na Oficina de Imagens, em Belo Horizonte.

Minas Gerais

No Semiárido mineiro, o Selo UNICEF é desenvolvido desde 2005, em parceria com a Oficina de Imagens. Na última edição, 2009-2012, 28 dos 123 municípios inscritos no Selo receberam a certificação internacional devido à melhoria de indicadores sociais na área da educação, saúde e assistência social. Entre cidades agraciadas, está Mata Verde, que foi certificada com o Selo pela primeira vez.

A articuladora de Mata Verde na última edição, Risélia Dias, afirma que o Selo UNICEF contribui para a sensibilização da comunidade e dos órgãos municipais para além dos três anos de duração do projeto. “A mudança na consciência das pessoas, dos órgãos e a obtenção do próprio Selo fez o município mais responsável por suas crianças e seus adolescentes. Desde o fim da edição passada, o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Mata Verde já promoveu duas audiências públicas, participou da elaboração do Plano Plurianual, realizou a 1ª Semana do Conselho Tutelar, fomentou a criação do Programa Família Acolhedora, além de outras ações”, explica.

Como participar

Os(As) gestores(as) municipais interessados(as) em participar da iniciativa devem ler o Regulamento, preencher e assinar o Termo de Adesão, indicando o nome da pessoa que vai assumir o papel de Articulador(a) municipal, responsável por coordenar o Selo no município e fazer a interlocução com o UNICEF. É recomendável que o(a) presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) também assine o Termo de Adesão. Para ter acesso ao regulamento e termo de adesão basta acessar o site: www.selounicef.org.br.

O município que adere à iniciativa recebe capacitações, materiais e metodologias, que têm como proposta intensificar a atuação da gestão municipal, a comunicação e mobilização social para o fortalecimento das políticas públicas da área da infância e adolescência.

A nova edição do Selo UNICEF Município Aprovado no Semiárido será realizado com o apoio do Governo Federal, PETROBRAS, Fundação Telefônica, COELCE e CEMAR, em parceria com organizações não governamentais, responsáveis pela implementação das atividades em 10 Estados da região.

INFORMAÇÕES

Oficina de Imagens - Comunicação e Educação

Adriana Mitre /Reginaldo Alves

Telefone: (31) 3465-6800/6809

E-mail: selounicef@oficinadeimagens.org.br

Endereço: Rua Salinas, nº 1101, Floresta - Belo Horizonte, MG, CEP 31.015-365

Assessoria de Comunicação para UNICEF São Paulo

Adriana Alvarenga

Telefone: (11) 3278-5707

E-mail: aalvarenga@unicef.org

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Mostra recupera a arte sofisticada de Chichico Alkimim, um dos pioneiros da fotografia em Minas

Fonte: Divirta-se UAI (clique aqui)

Chichico Alkmim (1886 –1978) é personalidade marcante dos primórdios da fotografia em Minas Gerais. Nas primeiras décadas do século 20, criou extensa galeria de fotos com imagens de pessoas e famílias de Diamantina. Há quase uma década, a obra desse fotógrafo vem sendo redescoberta. Depois de ganhar o livro 'O olhar eterno de Chichico Alkmim' (2005), o baú do artista volta a ser aberto com a exposição 'Paisagens humanas – Paisagens urbanas', que será inaugurada nesta terã-feira, às 19h, no café do Memorial Minas Gerais Vale. A mostra traz 20 impressões de imagens feitas por ele e disponibiliza outras 70 em três monitores de computador. O público verá fotos inéditas, além daquelas publicadas no volume dedicado a ele.

Paisagens humanas – Paisagens urbanas' tem curadoria da artista plástica Verônica França Alkmim, neta do artista, e do fotógrafo Tibério França. Verônica conta que o foco da seleção são retratos e grupos familiares – as imagens revelam uma época e também a relação do fotógrafo com os modelos. “Há carinho e respeito com as pessoas que o procuravam para fazer uma foto”, observa ela. O avô era perito em deixar os modelos à vontade. Outras qualidades são os cuidados com criação da atmosfera, com a composição e com a luz. Somados, esses aspectos fazem com que as fotos ultrapassem a dimensão de registro e se tornem autorais. “Está ali fotos emoção que chega a todos, independentemente de idade, escolaridade e cultura”, analisa.

Clique aqui para ler a reportagem completa.

Ciclo de palestras–Pedagogia Waldorf

Facebook - 7 2013

Informativo Santa Casa de Caridade de Diamantina

A Santa Casa vem demonstrar mais uma vez sua preocupação no manejo e segregação dos resíduos hospitalares, para isto durante todo o mês de outubro foram oferecidos treinamentos, palestras e distribuídos uma cartilha de gerenciamento de resíduos a todos os colaboradores da instituição.

image

Santa Casa de Caridade de Diamantina informa

clip_image004A Santa Casa de Caridade de Diamantina, com o intuito de estreitar os laços com a comunidade, criou o Projeto VISITAR, que consiste em visitas orientadas pelos setores da Instituição. Por meio dele, a Santa Casa está cumprindo o papel de levar à população conhecimento mais detalhado das reformas realizadas em toda a sua estrutura, dos novos projetos e processos empreendidos, tanto no âmbito administrativo, quanto na área assistencial. Essa foi à maneira mais adequada que se definiu para que a população possa se inteirar sobre um tema de fundamental importância em nossa vida: SAÚDE.

No dia 24 de Outubro de 2013 (terça-feira), recebemos as ilustres visitas, Nelson Mascarenhas da Rocha, Antônio Daniel Neto, Jaqueline Eloiza, Neyde Araújo Neves, Geraldo Guilherme Duarte, Wilson Santana Santos, Rafael de Miranda Pereira, Pe. Padeu do Rosário Pereira, Maria Francisca dos Santos, Edson Soares de Oliveira e Conceição Eunice Mattos dos Reis.

Um alerta e uma informação da escritora Maria da Conceição Duarte Tibães e a resposta Provedoria da Santa Casa de Caridade de Diamantina

 

UM ALERTA E UMA INFORMAÇÃO DE SUMA IMPORTÂNCIA DA ESCRITORA MARIA DA CONCEIÇÃO DUARTE TIBÃES E DE PESSOAS DE “CORAÇÃO ESCLARECIDO

De vocês, desta atual Gerência da “Santa Casa”, espera-se que exista dentro

do seu grupo pessoas de bom senso.

Esperamos que estas condutas não sejam a realidade: - Chegou até nós

a informação de que um grupo da “Santa Casa” está querendo modificar

o Antigo, esquecer o Antigo, e só pensar no Moderno.

Chegou a nosso conhecimento que foi retirado (provisório ou não), por alguns de vocês,

do site da “Santa Casa” os “Fatos Históricos” escritos nos 220 anos da Fundação da mesma,

(fora as adulterações nos Estatutos da ` Irmandade da Santa Casa ´ ),

sites autorizados pela Gerência anterior a esta, com a colaboração do

1º. Secretário desta Entidade, Antônio Carlos Fernandes, (In Memorian),

por que eram Justos e Dignos os escrever.

Não se esqueçam de que foi a Essência do Antigo que gerou o Moderno.

Por favor, não façam isto!

O Antigo se Harmoniza com o Moderno que pode e

deve se Abraçar Fraternalmente com o Antigo”;

“A Santa Casa é Patrimônio da Comunidade”,

para que todas as Competências funcionem

em Funcionalidade Global, Cooperativa para com isto

gerar uma Produtividade Harmônica na nossa querida “Santa Casa”.

Usem o bom senso nas ações!

Nós queremos Transparência!

Nós queremos a Palavra Franca!

Nós queremos Verdadeiramente Cooperar!

Nós queremos ter uma Cooperação Fraterna!

Nós não somos inimigos de ninguém!

O vosso maior inimigo são vocês mesmos, observai atentamente isto.

“Lapidai a vossa pedra bruta”!

Observação: Já que estes não nos permitem a “Palavra Franca”, nas suas ditas reuniões, estamos utilizando da “Palavra Franca”, com Ética,

pelos Meios de Comunicação e pelo Jurídico; pois, felizmente,

nestes meios existem pessoas de bom senso.

Com Ética, Respeito e Gentileza e sem abrir mão da

Essência do Antigo, de quem quer se Esclarecer e da Escritora.

Atenciosamente,

Nós.

RESPOSTA DA PROVEDORIA DA SANTA CASA DE CARIDADE DE DIAMANTINA

Para reflexão!

Como já dizia Dom José Newton de Almeida Baptista “A história se faz através da acumulação penosa de experiências valorizadas, e não como um salto no escuro, mediante decisão desvinculada do passado”.

Visite o nosso site: www.santacasadediamantina.com.br e clique em FATOS HISTÓRICOS.

Santa Casa de Caridade de Diamantina 223 anos de história com a Vida, trabalhando com espírito de comprometimento, transparência, ética,doação, preservação e inovação.

Tudo isso, buscando unicamente o bem estar do ser humano.

Juscelino Brasiliano Roque- provedoria@santacasadediamantina.com.br

Provedor e Presidente da Irmandade da Santa Casa de Caridade de Diamantina

Santa Casa de Caridade de Diamantina informa

No dia 29/10/2013 a Diretoria da Santa Casa de Caridade de Diamantina esteve na Capital Federal, para buscar recursos, em reunião no Ministério da Saúde, com o Secretário Nacional de Atenção à Saúde, Dr. Helvécio Magalhães, tendo como objetivo apresentar um projeto de avanço do parque tecnológico desta Instituição no valor de R$5.500.000,00.

clip_image002

Foto da esquerda para direita: Dr. Leonardo Gomes de Carvalho(Neurocirurgião),Juscelino Brasiliano Roque(Provedor),Dr.Helvécio Magalhães(Secretário Nacional de Atenção à Saúde), Dr.Eduardo Serrano(Chefe de Gabinete do Ministro do Desenvolvimento Industria e Comércio Fernando Pimentel) e Sr. Dalgésio João dos Santos(Diretor Administrativo).

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Leia nesta semana na Voz de Diamantina

Capa (32)O assunto do editorial da semana passada - Rotativo tira Diamantina da inércia administrativa - mais que oportuno, revelou-se de formidável abrangência. O número de pessoas que apoiou tão adiada, tardia e ansiada medida beirou a unanimidade. Houve alguns questionamentos sobre a eficiência de sua cobrança e manutenção, os locais escolhidos para sua implantação e, naturalmente, o sempre negativo protecionismo concedido aos veículos oficiais portadores de chapa branca. De fato, alguns carros que têm usufruído desse favorecimento não parecem em trabalho, mas apenas estacionados privilegiadamente perto do local onde funcionam as repartições a que servem. Ora, se funcionários de empresas privadas não têm esse direito, depreende-se que o Estacionamento Rotativo de Diamantina incorre em nepotismo. Ou alguém acredita que esse arraigado vício cartorial só se configura quando em favor de parentes e apaniguados do poder?

Mas, apesar dessa tibieza de critério, vamos em frente, pois quase já se contam nos dedos de quatro mãos os anos em que Diamantina dormiu e acordou sem que nenhum prefeito de plantão se motivasse ou mostrasse capacidade para tomar iniciativa tão corriqueira, lógica e benéfica. Pode parecer exagero, mas atuações desse porte mexem com a autoestima do diamantinense. Mesmo depois da última e destrambelhada gestão nasce na consciência coletiva a esperança de que muitas das nossas mazelas podem ser corrigidas. É questão de determinação, de vontade, de brio administrativo.

Início do editorial da Voz de Diamantina - Edição 638, 02 de novembro de 2013

Assinatura da Voz de Diamantina

Um presente que todo mundo gosta de ganhar

Por apenas R$ 165,00 você recebe 52 exemplares semanalmente durante um ano

Quincas: (38) 3531-3129 e 8824-3584 - vozdediamantina@gmail.com

Aline: (38) 8811-5707 /// Wandeil: (38) 8803-8957

*A partir da tarde das sextas-feiras, o jornal Voz de Diamantina pode ser adquirido nos seguintes locais: Banca de Geraldinho, Canastra Diamantina e Livraria Espaço B

Convocação para eleição da mesa Administrativa da Santa Casa de Caridade

edital de convocação eleição mesa adm