quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Da janela lateral do quarto de dormir

O disco Cube da Esquina (1972) revolucionou a música brasileira, sendo considerado como um dos mais importantes da MPB. Além de ser o primeiro disco duplo da música brasileira, a obra trouxe uma série de inovações harmônicas e rítmicas até então nunca ouvidas, misturando rock, jazz, erudito e música brasileira de raiz. Uma mistura sonora que, até hoje, é o que melhor representa o espírito de Minas Gerais.

O disco é cheio de clássicos da nossa música: "Tudo Que Você Podia Ser", "Cais", "O Trem Azul", "Cravo e Canela", "Um Girassol da Cor do Seu Cabelo", "San Vicente", "Nada Será Como Antes" e outras. Uma das mais belas de todas é "Paisagem da Janela". Esta música foi composta por Lô e Fernando Brant em um quarto de hotel em Diamantina, quando os integrantes do Clube foram chamados para fazer uma reportagem para a revista "O Cruzeiro", durante o processo de composição do álbum. A vista para a Serra do Espinhaço influenciou Brant a escrever uma das letras mais bonitas do álbum.

PAISAGEM DA JANELA
(Lô Borges e Frnando Brant)

Da janela lateral do quarto de dormir
Vejo uma igreja, um sinal de glória
Vejo um muro branco e um vôo pássaro
Vejo uma grade, um velho sinal

Mensageiro natural de coisas naturais
Quando eu falava dessas cores mórbidas
Quando eu falava desses homens sórdidos
Quando eu falava desse temporal
Você não escutou

Você não quer acreditar
Mas isso é tão normal
Você não quer acreditar
E eu apenas era

Cavaleiro marginal lavado em ribeirão
Cavaleiro negro que viveu mistérios
Cavaleiro e senhor de casa e árvores
Sem querer descanso nem dominical

Cavaleiro marginal banhado em ribeirão
Conheci as torres e os cemitérios
Conheci os homens e os seus velórios
Quando olhava da janela lateral
Do quarto de dormir

Você não quer acreditar
Mas isso tão normal
Você não quer acreditar
Mas isso tão normal
Um cavaleiro marginal
Banhado em ribeirão
Você não quer acreditar


14 comentários:

  1. Muito legal essa estória de "bastidor" sobre a música "PAISAGEM DA JANELA", que aliás, é uma canção muito bela... tanto a letra quanto a música. Chamou a minha atenção, por ser um tema caro para mim, o verso "vejo uma grade, um velho sinal". Pode ser uma interpretação equivocada, mas em se tratando de fim da década de 1960 e início da de 1970, não há como não pensar em Ditadura Militar... o poeta, de forma sutil, cutuca com a vara curta os símbolos de um regime cruel e nefasto que assola a liberdade das pessoas, e do qual "todos", principalmente os artistas, já estavam fartos.
    Fora as considerações políticas e histórias, "CLUBE DA ESQUINA" é um um álbum magnífico. E para quem não conhece esse disco ou não conhece o trabalho do grupo, sugiro que não perca mais tempo...
    Admiro muito a música dos caras e pessoalmente a que mais gosto é "UM GIRASSOL DA COR DOS SEUS CABELOS". Para quem quiser conferir, segue o link para a letra:
    http://letras.terra.com.br/lo-borges/47030/

    Um grande abraço Fernando,
    Taunay Gripp Mota

    ResponderExcluir
  2. Taunay,
    Obrigado pelo comentário.
    Mesmo que você esteja equivocado, o papel da arte é esse mesmo: nos fazer refletir sobre o nosso mundo. Independentemente, se for apenas uma grade ou ditadura militar, o importante é que a música nos toca e nos influencia.
    Forte abraço
    Fernando

    ResponderExcluir
  3. uAI..
    ESTA MÚSICA NÃO FOI FEITA EM OURO PRETO? NA RUA DAS MERCÊS? AGORA EU PIREI.

    ResponderExcluir
  4. Li recentemente uma entrevista do Brant em que ele afirma que essa música foi feita em Belo Horizonte...Portanto, há várias versões...rsrsr

    ResponderExcluir
  5. Ficou muito curioso sobre esta música , já me disseram que ela foi feita em Diamantina no hotel Dalia agora vai saber..!

    ResponderExcluir
  6. RECENTEMENTE TAMBÉM LI UMA MATÉRIA SOBRE ESSA LETRA QUE DIZIA QUE ELA FOI ESCRIA NA ÉPOCA DA DITADURA MILITAR,BOENTENDO MUITO DESSAS COISAS,MAS EU ME FASCINO COM ESSAS MUSICAS...PAISAGEM NA JANELA,SIMPLICIDADE DO PATO FÚ,E OUTRAS POR AI...ABRAÇOS CESAR

    ResponderExcluir
  7. Essa musica foi feita em Ouro Preto no quarto de uma República chamada Consulado com vista para a Igreja das Mercês.

    ResponderExcluir
  8. Essa música foi feita em Ouro Preto, no quarto da República Consulado com vista para Igreja das Mercês.

    ResponderExcluir
  9. Nada a ver, essa musica foi feita em São Lourenço numa estadia deles por lá, no Templo

    ResponderExcluir
  10. Tb sabia da história da rep. consulado.

    ResponderExcluir
  11. Já me disseram que foi da República Sinagoga, que é na rua da República Consulado, ao lado da Igreja das Mercês

    ResponderExcluir
  12. Pensei que essa música nasceu em Ouro Preto. Pelo visto há muitos rumores sobre ela. O jeito é escrever pro Lo Borges e também para o Fernando Brant, se a resposta dos dois bater BINGO. Alguém se propõe a fazer isso pra nós?

    ResponderExcluir