sábado, 16 de abril de 2011

Diamantina sediará Festival de História

Fonte: Festival de História, com dica do Micuim

Concebido pela Revista de História da Biblioteca Nacional, o Festival de História - fHist foi estruturado como uma festa multidisciplinar, capaz de propiciar a manifestação da diversidade da produção literária e artística com foco na História em múltiplos espaços, auditórios, tendas e palcos de rua. A realizar-se na bem preservada paisagem histórica e cultural de Diamantina, Minas Gerais, no período de 08 a 12 de outubro de 2011, o Festival é uma realização da Nota Comunicação e já conta com as parcerias da Prefeitura Municipal de Diamantina, da Associação Diamantinense de Empresas Ligadas ao Turismo – Adeltur e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan.

O Festival contará com diversas frentes de atividades, entre as quais a Tenda dos Historiadores, palco das principais conferências, na Praça Doutor Prado; o Cinema no Teatro, com sessões de filmes no cine-teatro Santa Izabel; Proseando no Mercado, no Mercado Velho, onde ocorrerão as sessões de autógrafos e será instalada a livraria do fHist; e a Música no Mercado, no palco da praça. O Festival contará ainda com oficinas de História, de Educação Patrimonial e de Teatro, abertas aos estudantes e professores da região. Em breve serão divulgados a programação e os nomes dos historiadores e jornalistas confirmados.

A participação no Festival de História é aberta a todos os interessados. As inscrições serão abertas às 12 horas do dia 15 de julho.

PROGRAMAÇÃO

O fHist foi concebido de forma a propiciar a manifestação, em diversos palcos e cenários, da diversidade da produção editorial e artística com foco nos temas da História. Ambientado na bem preservada paisagem histórica e cultural da cidade de Diamantina, o festival se desenvolverá em auditórios, salas de aula, praças, ruas e becos do centro do velho do Arraial do Tijuco, no período de 08 a 12 de outubro de 2011.

Para tanto, a edição 2011 do fHist oferecerá aos seus convidados e participantes uma programação envolvente e criativa:

Tenda de historiadores e jornalistas – Espaço principal do fHist, localizado na Praça Doutor Prado, antiga Praça da Cavalhada Velha do Arraial do Tijuco, a tenda, com capacidade para 500 participantes, irá abrigar as conferências e mesas principais de debates durante todo o festival.

Cinema no teatro – Em sessões no auditório do Teatro Santa Izabel, antiga Cadeia Velha, recém-reformado pelo IPHAN (veja comentário abaixo), os participantes poderão assistir a filmes sobre temas históricos, especialmente selecionados pela organização do fHist, e conversar com diretores e atores convidados.

Proseando no mercado – No Mercado Velho, antigo pouso dos tropeiros, hoje espaço cultural, os autores convidados do fHist poderão falar ao público sobre os seus livros e debater com a platéia.

Livraria da História – Em espaço especialmente reservado no velho mercado, o público terá às mãos os mais recentes lançamentos de livros de História.

Oficinas de História – Antecedendo o festival, uma intensa programação de oficinas e residências criativas, voltadas para os professores e a juventude de Diamantina, colocará os temas históricos e a educação patrimonial na ordem do dia.

Oficininha de Histórias – Na praça do mercado, a manhã do dia das crianças, 12 de outubro, será dedicado a atividades lúdicas e históricas para a meninada.

Histórias cruzadas

Em múltiplas manifestações artísticas, as bandas de música, grupos musicais e folclóricos e as escolas, museus, bibliotecas, livrarias, restaurantes e bares oferecerão durante todo o evento uma programação cultural excepcional, focada em temas históricos. Entre estas manifestações, destacam-se:

Vesperata – Na famosa Rua da Quitanda, os músicos das bandas nas sacadas centenárias, regidos pelo maestro no centro da rua, darão boas-vindas aos participantes e convidados, abrindo a programação cultural do fHist no dia oito de outubro.

Música no mercado – Durante todo o festival, um palco na Praça Barão de Guaicuí, antiga Praça da Cavalhada Nova do mercado, receberá músicos especialmente convidados pelo fHist.

Concertos – Palco das tradições musicais barrocas, as igrejas do centro histórico abrirão suas portas para concertos sinfônicos durante o festival.

Performances de época – Durante os cinco dias do festival, os bares e restaurantes do centro histórico oferecerão aos visitantes atrações especiais, acompanhadas de pratos da saborosa culinária regional.

Trilha histórica e cultural – Cortejo e passeata pelas ruas e becos do centro histórico da cidade, acompanhando bandas e grupos musicais e folclóricos no encerramento festivo do fHist.

7 comentários:

  1. A Cadeia Velha hoje Teatro não foi reformada pelo IPHAN. Primeira Fase da intervenção com aporte do Programa MONUMENTA (70% do MinC/Tesouro Nacional e 30% do Município de Diamantina), segunda fase ainda inclompleta restando instalação da Cenotecnia com aporte do MInC. Ou seja não foi construído com recursos do IPHAN.

    ResponderExcluir
  2. Salvo engano, do Programa Monumenta participa o IPHAN:O Monumenta é implementado nas cidades a partir da assinatura de convênios firmados entre o Ministério da Cultura, prefeituras e/ou estados, mediante o qual se estabelecem as atribuições de cada uma das partes, os valores a serem repassados e os prazos de execução das obras. Para acompanhar e conduzir as ações do Programa são formadas equipes compostas por técnicos do município ou do estado em conjunto com o Iphan. As equipes compõem a Unidade Executora de Projeto – UEP que recebe orientações da Unidade Central de Gerenciamento, com sede no Ministério da Cultura.(http://www.monumenta.gov.br/site/?page_id=164)

    ResponderExcluir
  3. Que bobagem saber quem reformou ou não!!! O importante é verificar a sua programação!!! Uma beleza a direção artística do Teatro, os cursos de formação, de dança, teatro e de artes plásticas.
    Parabéns Sectur!!!

    ResponderExcluir
  4. Onde está essa progrmação da Sectur? Que beleza é essa que não ficamos sabendo? Ninguem fica sabendo de nada...O setor de comunicação da prefeitura é, no mínimo, péssimo.

    ResponderExcluir
  5. Fernando Oliveira19 de abril de 2011 08:58

    SOBRE O SETOR DE COMUNICAÇÃO DA PREFEITURA, estou decepcionado com a ASCOM da Prefeitura de Diamantina. O site da PMD não é atualizado há um bom tempo, principalmente com as nomeações, exonerações, portarias, concessões, Leis... E isso serve também para o site da Câmara Municipal deste Município. Vale lembrar também do já esquecido jornal O Tijuco. ADIANTOU ALGUMA COISA REFORMULAR O JORNAL? Essa reformulação foi para fazê-lo desaparecer? Parece que simplesmente que pararam no tempo. Acho que estão precisando dar uma reformulada e colocar gente interessada e COMPROMISSADA em nos informar, afinal isso não é gentileza para com a população, isso é dever, é obrigação.

    ResponderExcluir
  6. Fernando,
    Você tem toda razão. A comunicação da prefeitura deixa muito a desejar. Acredtio que o pouco que é feito não é divulgado. Veja por exemplo a programação cultural de fim de semaan: ela é divulgada na sexta feira e não há um planejamento a longo prazo. O site ofical da prefeitura não é atualizado há muito tempo e esteticamente é mal feito. Basta fazer uma comparação com os sites oficiais de outras cidades do mesmo perfil que Diamantina.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir