domingo, 20 de maio de 2012

Leia nessa semana na Voz de Diamantina

Texto: Joaquim Ribeiro Barbosa - “Quincas”

Capa (8)Ao completar pouco mais de 120 dias de mandato, o padre testou a idoneidade dos vereadores apresentando-lhes uma lei complementar para a criação de 207 empregos sem concurso. Na época, por meio da Recomendação 002/2009, o Ministério Público preveniu a edilidade de que, em defesa dos princípios da ‘legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência’, poderia subtrair-lhes o que a sociedade desacautelada lhes concedera através das urnas.

Mas o ano de 2009 não chegou ao fim sem que a maioria da vereança se rendesse servilmente aos mandos do padre-prefeito. Na noite de 23 de dezembro, foi aprovada pela câmara a Lei 3517 que corrigia o valor venal dos imóveis e da taxa de prestação de serviços, a partir de 1° de janeiro de 2010. Mas aquela vitória aparentemente pequena era apenas uma branda aguilhoada na cerviz da câmara para torná-la cada vez mais bovinamente subjugada.

No dia 23 de dezembro já do ano de 2010, os vereadores traíram novamente a cidade e obsequiaram os secretários do reverendo-alcaide com aumento de 80% em seus rendimentos; para não se sentirem diminuídos perante a protegida casta, concederam a si mesmos mais mil reais de verba indenizatória igualando as remunerações. Nessa última reunião do ano, a ilustre edilidade teria votado em cruz, sem saber em quê.

Excitado com os ganhos de sua premeditação, o reverendo-alcaide apresentou o Projeto de Lei 78/2011 que, aprovado pela câmara no último dia do ano legislativo de 2011, revelou-se mais uma vergonhosa perfídia de vereadores à própria missão a eles outorgada, à cidade e aos munícipes. O que levou a 2ª e 3ª Promotorias de Justiça de Diamantina a lhe expedirem um procedimento preparatório que os alertava ‘que o descumprimento das normas legais acarreta aos seus infratores multas, sanções da lei de Improbidade Administrativa e cassação de seus registros ou diplomas’.

Esta deprimente narrativa de relações espúrias entre os dois principais poderes do município é pequena amostragem do despreparo dos nossos vereadores. A reunião da câmara da última segunda-feira, 14/05, me fez até retornar aos tempos de menino. Quando ouvia contar a força de atração das cobras sobre os passarinhos.

Continua na Voz de Diamantina Edição 562 de 19 de maio de 2012

Confira nesta edição:

  • Balaio de Pitacos
  • Governador Anastasia Inaugura Parque Teconológico de Belo Horizonte
  • Um aniversariante de bem com a vida
  • Aniversário da Santa Casa de Caridade de Diamantina

Assinatura da Voz de Diamantina

Um presente que todo mundo gosta de ganhar

Por apenas R$ 140,00 você recebe 52 exemplares semanalmente durante um ano

Quincas: 38-3531-3129 e 8824-3584

Aline: 38-8811-5707

Um comentário:

  1. Fernando Oliveira21 de maio de 2012 09:30

    Alô Diamantina, nossa Câmara Municipal necessita urgentemente de renovação. O Vereador ficaliza e propõe ações que viabilizam o bem estar da comunidade. Vejam no link abaixo, que os vereadores nada ou quase nada propuseram nos ultimos quatro anos. É essa mesma Câmara que queremos pelos proximos quatro anos? Essa transparência nos permite avaliar. Tirem sua conclusões. Abraços a todos! http://www.camaradiamantina.cam.mg.gov.br/legislatura.aspx

    ResponderExcluir