segunda-feira, 16 de maio de 2011

Manifesto Acerta Pedra–Parte III

Autor: Ricardo Lopes Rocha

image
Uma visão do calçamento recunhado e capistrana preservados e detalhe dos traços artísticos das “linhas” que o definem

image

Nosso calçamento é um patrimônio raro que deve e pode ser conservado. No momento, precisa de uma restauração completa. Voltar ao pé-de-moleque penso que seria a restauração no sentido exato da palavra, mas é impraticável, mesmo porque, a fonte dos seixos roliços já não mais existe que é o garimpo, proibido já há algum tempo. Restaurar o calçamento romano, estilo recunhado é uma solução boa e todos podem conferir e ver que não é nenhum delírio da minha parte. Quem quiser pode passar em frente à estação ferroviária (na Avenida Francisco Sá) e admirar como um trecho bem feito e que não sofreu esburacamento de empresas privadas se conserva perfeito e liso! Lá existe um traçado digno de se admirar. Chego no motivo central desta série do Manifesto Acerta Pedra que é justamente restaurar uma rua por completo para servir de exemplo e estímulo a novas restaurações. Mas a partir daqui terei que parar e só continuar depois de ouvir os que se solidarizarem com o movimento. Por muito motivos: primeiro – terá que ser uma ação legal, com licença para obras, auxílio da polícia com interrupção de ruas e tráfego, etc. Deverá haver uma discussão para decidir qual o trecho de rua escolhido para ser restaurado e isso é bastante problemático. O trecho deverá ser central, para aparecer para todos verem; terá que estar bem estragado para que faça diferença; e não deverá trazer muitos transtornos para a vida do diamantinense para não o desestimular. Tudo isso deve ser bem discutido antes de buscarmos ajuda no poder administrativo, quando então irei (mos) oferecer minha (nossa) ajuda voluntária para administrar a obra. O dia escolhido para esta discussão é o dia da festa do Divino, em hora a ser definida mais adiante. Vou reservar uma sala para poder acomodar as pessoas que quiserem se manifestar, opinar, criticar, pois só assim a idéia irá amadurecer. Várias pessoas já se manifestaram em apoio, muitos vão participar desta reunião, inclusive recebi o importante apoio do Fernando que irá registrar este encontro. Manifestações online serão benvindas e respondidas à medida do possível. Na próxima edição coloco os detalhes finais do encontro.

image

5 comentários:

  1. Eu quero minha rua assim, lisinha e sem buracos..

    ResponderExcluir
  2. Em primeiro lugar, para termos apoio a estas ações, temos que criar coragem e colocar na prefeitura alguém que realmente queira trabalhar por Diamantina.
    Para se chamar a atenção da população e dos visitantes a respeito da preservação, a rua a ser restaurada deve ser a Rua São Francisco, além de ser central, tem em suas fileiras a Casa de JK; e não atrapalharia muito o trânsito uma vez que existem outras vias paralelas que levam ao centro e não ter comércio. E além do mais está terrível o trecho acima da Casa de JK.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia gostaria de manifestar minha enorme emoção ao ver que existe ainda Diamantinenses capazes de serem sensíveis a problemas como o calçamento. Hoje a preocupação dos mesmos é somente com o preço dos alugueis e como ganhar dinheiro mais rápido. Estou de total acordo com você. Disponho-me a solidarizar com a obra e espero do fundo do coração, que dê algum resultado. Acho que o problema maior será com o prefeito da cidade, pois todos viram o quanto ele se importa com o bem estar da população (fato ocorrido no carnaval, a cidade pegando fogooo e ele tirando umas férias no carnaval de salvador). Bem é isso. Estou aqui para ajudar no que for possível. Obrigada pelo incentivo.

    ResponderExcluir
  4. Desde que me mudei para Diamantina essa é a primeira vez que vejo alguém efetivamente apresentando uma proposta concreta para tentar resolver o problema. Fico impressionado com a apatia e descrédito de todos perante o problema que precisa ser resolvido, tanto para os moradores como também para os turistas. Vamos lá pessoal, a proposta do Manifesto Acerta Pedra está aí, aberta ao diálogo e participação de todos que se sentem incomodados com o estado lastimável e de abandono do nosso calçamento.

    ResponderExcluir
  5. Fernando Oliveira16 de maio de 2011 11:05

    Vamos esperar então que o manifesto sensibilize os governantes do nosso munícipio, se é que eles estão aí para o que se escreve nos meios de comunicação. Desde já eu lhes digo, será necessária uma renovação tanto no legislativo quanto no executivo desta cidade. Se nós seres humanos estamos esquecidos por eles, imaginem o calçamento e outros pontos de Diamantina e Distritos.

    ResponderExcluir